Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal em Pernambuco | (81) 3421.2608

Sintrajuf-PE expressa em vídeo posição contra ditadura e ataques de Bolsonaro

Por: Mayara Moreira em 31/03/2021

O presidente do Sintrajuf-PE, Manoel Gérson expressa em vídeo a posição do Sindicato, deliberada em assembleia geral pela nossa categoria, frente ao que representou o golpe militar de 1964 e diante dos inúmeros ataques do presidente Jair Bolsonaro ao estado democrático.

O representante do Sintrajuf-PE também ressaltou a preocupação com a postura de setores do Judiciário de permitir a exaltação, pelo governo, do período de terror de estado e de violações dos direitos humanos.

O Sintrajuf-PE se mantém firme na luta em defesa da democracia, dos direitos e dos serviços e servidores públicos do Poder Judiciário da União!

Veja o vídeo: https://youtu.be/eDW69oIDYxk

Abaixo, manifestação feita através de texto pelo integrante da base da categoria, Gabriel Albuquerque, servidor da Justiça Federal de Pernambuco:

“Há 57 anos, em 31/03/1964, o Brasil dava início a uma das páginas mais obscuras de sua história. A ditadura militar- regime tirano que censurou, perseguiu, torturou e matou brasileiros e brasileiras – só foi possível pela junção da ação espúria daqueles que conspiraram contra a democracia com a omissão dos que tinham o dever e a responsabilidade de agir e assim não fizeram.

No contexto atual, quando o negacionismo científico e histórico insiste em distorcer os fatos e negar o que já foi provado e comprovado, é inaceitável que o Estado brasileiro, através das instituições que têm a responsabilidade de resguardar a constituição e o Direito, admita a celebração ou o revisionismo da história e das trágicas consequências de um tempo sombrio cujas evidências não deixam margem a dúvidas.

Por outro lado, no Brasil de 2021, quando assistimos a tentativas recorrentes de ataques à democracia e em meio a um quadro de pandemia irresponsavelmente conduzido que nos faz contar mortos em centenas de milhares, a defesa da democracia e da vida são prementes, razão pela qual repudiamos veementemente o arbítrio e a política de morte, seja aquela de 64 ou a de hoje.

O povo brasileiro precisa de vacina, paz, comida e trabalho. Ditadura Nunca Mais.”